O novo, lentamente, começa a ocupar o espaço do velho

Da esquerda para a direita: Fernando Schüler, Fábio Bernardi e Rodrigo Sousa Costa

Algo está acontecendo e promovendo uma mudança. Ainda não é totalmente, mas não é mais o que era, disse o publicitário Fábio Bernardi no 14º Congresso da Federasul. No painel em que participou com uma análise do ambiente gaúcho, junto com o cientista político Fernando Schüler, ambos usaram as palavras-chave contradição e caos para contextualizar o ambiente gaúcho.

Mediado pelo vice-presidente de Integração, Rodrigo Sousa Costa, o encontro apresentou um Estado inseguro, acuado e paralisado pelo caos. Mas na perspectiva do futuro, há uma visível mudança acontecendo, com novo ocupando o espaço do velho, disse Sousa Costa, resultado de um novo movimento de apropriação do setor produtivo.

De acordo com Schüler, a sociedade dá sinais contraditórios. A sensação do caos atrai o discurso da salvação e da renovação. “Nessa eleição, no entanto, estamos indo na contramão a esses valores”, observou. Segundo ele, a aprovação da sociedade a partidos menos conhecidos é a maior prova da vontade de mudar.

Essa intenção, no entanto, se perde com a falta de representação. “Eu sou gaúcho, mas não praticante”, brincou o publicitário Fábio Bernardi. Segundo ele, o Rio Grande do Sul sempre foi na contramão dos movimentos nacionais, mantendo uma cultura extremamente polarizada. “Aqui sempre prevaleceu a cultura do ‘anti’. Nunca se defendeu um ideal, mas se criticou o ideal do outro”, comentou. No entanto, destacou o publicitário, “a postura da Federasul está mudando o curso da história deixando de ser hipocritamente isenta”.

Com essa polarização e essa incapacidade de um consenso, o Rio Grande do Sul se enfraquece. “Está na hora de mudar. Precisamos, nesse ano eleitoral, juntar o que está acontecendo, sobre o que pensamos estar acontecendo e discutir”, refletiu.

Há um consenso, no entanto, de que os gaúchos mudam e este fenômeno acelera a legitimidade da representação empresarial no interior, percebida através da percepção do empreendedor em identificar o líder regional para seus pleitos.