Lya Luft defende o bom senso para o sucesso do País

Nas lutas sociais e na política, escritora acredita que ter uma autocrítica é fundamental

11-10-2017_EL-GGG5769GGG_Tá_na_Mesa_05-min

Contrária ao politicamente correto, Lya Luft não tem meias-palavras para criticar a hipocrisia e a falta de bom senso. Durante o Tá na Mesa desta quarta-feira (11) na Federasul, a escritora defendeu um olhar lúcido, cruel, mas esperançoso para o Brasil. Segundo ela, é preciso resgatar o respeito pelas autoridades, com decência e confiança, para que o Brasil volte a conquistar o seu espaço.

“Quando eu era criança, nós tínhamos orgulho de ser brasileiro. Embora fosse uma ilusão, até meio romântica, me fazia bem pensar daquela forma. Hoje não sentimos mais isso’, lamentou. De acordo com Lya, grande parte desse sentimento está na política, que não tem mais credibilidade junto aos brasileiros. “Eu não respeito muitas das pessoas que estão na vida pública. Nós temos aqui um grave problema de compostura”, revelou.

Além disso, a escritora criticou ainda a própria sociedade, que tem agido de forma agressiva para defender opiniões extremistas e propagar o maniqueísmo. “Não é brincadeira a fase que estamos passando. Nós vivemos em um período de grande violência interior. Estamos sempre com a alma apontada para atacar o outro”, ressaltou. Segundo a escritora, as redes sociais e a evolução da internet tornaram as notícias, boas e ruins, muito acessíveis, influenciando e incentivando a manifestação dos usuários.

Lya ainda citou a atitude das mulheres, que criticam o machismo, sem tomar atitudes coerentes. “Nós estamos choramingando muito, quando, na verdade, temos é que mostrar serviço, sem agressividade e sem lamentação. Precisamos provar às empresas e à sociedade que o trabalho da mulher tem qualidade”, defendeu.

Da mesma forma, mostrou-se a favor da luta individual pelo desenvolvimento do País. “Os grandes movimentos não estão dando certo. Continuamos com os mesmos problemas por aqui. Então, às vezes, é melhor trabalharmos sozinhas, fazendo a nossa parte, com ética e lucidez, pelo futuro do Brasil”, observou.

Durante a reunião-almoço, a Federasul prestou uma homenagem à Associação Hospitalar Moinhos de Vento pelos 90 anos de sua fundação. O presidente do Conselho de Administração do grupo, Eduardo Bier Correa, que recebeu a placa-homenagem pela presidente Simone Leite, agradeceu a honra e reforçou o compromisso do hospital com a prestação de serviços de qualidade para a população gaúcha.