Reforma da Previdência rompe com desigualdades

“Chega em boa hora” a proposta da reforma da Previdência, entregue nesta quarta (20), pelo presidente Jair Bolsonaro na Câmara dos Deputados. A presidente da Federasul, Simone Leite, diz que, além de evitar a iminente paralisação do País, adota parâmetros semelhantes entre os trabalhadores dos setores público e privado e cria um sistema mais justo para todo o povo brasileiro.

A Federasul acredita que a discussão em torno da proposta que cria uma nova Previdência é essencial para que todos possam dar sua contribuição ao projeto. “O que não podemos admitir é a concentração de 52% do gasto total do Brasil apenas para pagar aposentadorias e pensões”.

Cenário que repercute diretamente na falta de recursos para educação, saúde, segurança, infraestrutura. Simone Leite lembra ainda que o sistema atual é um grande modelo de privilégios e desigualdades. “Pode-se discutir detalhes da proposta, mas é essencial admitir que ela, ao economizar R$ 1 trilhão em 10 anos, estabiliza o custo da previdência”.