O pós-pandemia requer cooperação e união

Ao Estado cabe criar condições e liberdade para empreender e gerar riquezas

                Cooperação e união é a receita para a retomada do desenvolvimento pós-pandemia, disse o presidente da FEDERASUL, Anderson Trautman Cardoso, ao saudar o convidado do Tá na Mesa, desta quarta (26), o secretário de Desenvolvimento Econômico do RS, Edson Brum. Ele enfatizou que a entidade está preparada para contribuir para a melhoria do ambiente de negócios que promovam as reformas estruturantes e que ampliem a competitividade do Estado. O secretário falou sobre “Investimentos no RS” e o evento teve a participação do vice-presidente de Economia, Fernando Marchet.

         Com o desafio de preparar o Estado para a retomada do desenvolvimento pós-pandemia, o presidente da FEDERASUL lembrou ao secretário que a crise profunda não pode ser resolvida só pelo governo. “A sociedade precisa dar sua contribuição”. Destacou que as limitações do poder público favorecem a defesa de privatizações, concessões e reformas amplas para “reduzir a máquina, garantir a desburocratização e melhorar o ambiente de negócios”, observou.

         Anderson Trautman Cardoso focou na importância da educação e na inovação lembrando que momentos como o de agora “são propícios para uma reforma geral”. Disse ainda que antes de alocar recursos financeiros é preciso ter planejamento e repetiu que “a FEDERASUL tem destacado a necessidade de apostar na inovação como forma de manutenção da competitividade”.

         A FEDERASUL não esqueceu da educação. Disse que a escola não prepara o jovem para o futuro e que a quarta revolução industrial, marcada pela automação e robotização está modificando as relações de trabalho. “Os jovens precisam exercer outras funções, como o desenvolvimento de softwares, análise de dados, comércio digital, entre outras”, enfatizou.

Investimentos

       O secretário falou de investimentos e sobre os projetos para o pós-pandemia. Ele revelou que R$ 466 milhões foram os investimentos aprovados pelo Fundopem, durante a pandemia. “Além disso, temos investimentos da JBS equivalentes a R$ 1,7 bilhão”. Edson Brum contou que o Estado deve anunciar, em breve, um novo investimento superior a R$ 4 bilhões. Ele não disse, no entanto, de qual empresa e nem o setor, embora tenha revelado que a empresa já está no RS.

         Informou também que existem 70 projetos em análise pelo Fundopem referentes a vários setores da economia, que somam investimentos superiores a R$ 1 bilhão. Falou que o acesso a recursos está facilitado pelo BRDE e Badesul (podem ser feitos pelos sites) e lembrou que o Estado vem promovendo a modernização dos serviços públicos e que vários projetos, neste sentido, foram aprovados pela Assembleia.

         Informou também que o pacote anunciado pelo governo, no valor de R$ 1 bilhão, vai trazer novos recursos ao Estado. “Através de editais, repassará ainda aos municípios, R$ 100 milhões para a construção de acessos”. Deixou claro  que “a venda da CEEE-D aumentará a receita do RS em R$ 150 milhões ao mês: “recursos que vão girar na economia gaúcha”, lembrou.

         Sugeriu que os municípios criem projetos, como o e-commerce que o Estado anunciou e que serve para qualquer setor da economia. Em relação às privatizações, Edson Brum destacou a importância da venda à iniciativa privada da Corsan, já anunciada e revelou que já está com milhões de ações trabalhistas, e disse que no caso do Banco do Estado do Rio Grande do Sul, o tema é debatido nas reuniões governamentais. “Precisamos sintonia de vários governos para debater os temas dentro do mesmo compromisso de reduzir o tamanho do Estado”.

[addtoany]
PUBLICADO EM: 26 de maio de 2021