Mais importante agora é a cogestão

Empresários das regiões da Fronteira Noroeste, Colonial e Missões falaram sobre suas necessidades de infraestrutura e sobre o cenário da pandemia

A terceira reunião da Jornada da Integração, ouviu as regiões da Fronteira Noroeste, Noroeste Colonial e Missões. Embora a pauta fosse sobre infraestrutura e seus gargalos, para elencar as prioridades que seguirão com o apoio da FEDERASUL em busca de soluções, a pandemia tomou boa parte dos relatos e as entidades mostraram como estão atuantes, em seus municípios, na ajuda para suprir as necessidades sanitárias e a falta de infraestrutura dos hospitais para tratar os doentes.

O vice-presidente de Integração, Rodrigo Sousa Costa, abriu a reunião falando sobre a dinâmica do encontro, que reuniu 40 empreendedores para debater os problemas que estão enfrentando. O vice-presidente de Infraestrutura, Antonio Carlos Bacchieri Duarte, explicou a dinâmica das reivindicações com o destaque de apenas três prioridades para serem levadas adiante e o vice-presidente Rafael Goelzer, complementou as informações.
Atuantes, as filiadas estão na linha de frente, participando com os prefeitos da busca de soluções, seja liderando campanhas, seja fazendo promoções e buscando resolver as necessidades que crescem, assustadoramente, com os casos de COVID-19.

Uma das principais metas das entidades está em sintonia com os pleitos da FEDERASUL que é o retorno da cogestão. “Precisamos voltar a trabalhar com todos os cuidados para garantir que a economia não paralise”, disse o vice-presidente da regional, Rubi Artus, dono de uma rede de lojas que estão fechadas por não estarem na classificação de essenciais. “Tenho uma loja de artigos de construção que está aberta e que vem recebendo poucos clientes”, disse.

Um cenário do atendimento à saúde nos 24 municípios da regional foi traçado durante a reunião que elencou como necessidade principal a vacinação, a testagem e o respeito aos protocolos sanitários para evitar a propagação do vírus. Revelado também que a ampliação dos leitos e os recursos utilizados para atender os casos de COVID-19 foram próprios e não vieram do governo estadual.

A ex-presidente Simone Leite falou sobre a COVID-19, defendendo o tratamento inicial e a cogestão. Lembrou que o transporte coletivo é um exemplo de contaminação e que nem todos os municípios tem a mesma realidade. Disse que está angustiada com tudo isso e lembrou que quarta-feira (10) o encontro com o governador que vai falar no Tá na Mesa será importante para todos.

Consenso macrorregional é a ponte internacional Porto Xavier\Porto Mauá, a duplicação da BR-285 pedagiada e o aeroporto de Santo Ângelo, que precisa de liberação de normas por parte da ANAC. A quarta Jornada acontece no dia 15, próxima segunda, com a regional Centro-sul, Sul e Campanha

[addtoany]
PUBLICADO EM: 8 de março de 2021