Jaime Lerner acredita na transformação das cidades em espaços sustentáveis

A cidade do futuro deve aliar os conceitos de mobilidade urbana, sustentabilidade e sociodiversidade, com espaços vivos e preparados para a população usufruir de forma aprazível. Agregar aos grandes centros esses conceitos não parece ser uma tarefa difícil para o arquiteto e urbanista Jaime Lerner, que participou do “Tá na Mesa”, promovido pela Federasul, nesta quarta-feira (1º/07). Autor de projetos ambiciosos que tornaram Curitiba referência internacional, ele critica a forma burocratizada que estão sendo desenvolvidos os planejamentos, impedindo que soluções viáveis sejam colocadas em prática em curto prazo.
Ao comparar a estrutura das cidades ao casco de uma tartaruga, Lerner garantiu que todas as cidades possuem potencial para absorver a visão de futuro sustentável. Com intervenções pontuais, batizadas pelo arquiteto como “acupuntura urbana” é possível recuperar espaços e proporcionar trabalho, moradia e lazer de forma integrada.
Na visão do urbanista, Porto Alegre em especial, a transformação passa prioritariamente pela mobilidade urbana. “É preciso estimular, cada vez mais, o uso do transporte público ao avançar os investimentos na integração dos modais e em infraestruturas de qualidade”, apontou Lerner ao pregar a convivência e a tolerância e destacar que vida, moradia e trabalho devem caminhar no mesmo sentido.
Envolvido no projeto de recuperação do Cais Mauá, Lerner afirmou que “a revitalização do espaço deve ser um dos mais importantes projetos do país”, adiantando que a obra vai proporcionar um lugar de animação cultural e comercial. “Além de ser complexo, o plano envolve diversas entidades, situação que impede um ágil andamento”, explicou.
Outro projeto que ganhou o destaque do arquiteto é a recuperação da Orla do Guaíba que tem a ambição de entregar à população uma grande “arquibancada” ao ar livre, ilustrou Lerner. Ele aproveitou o momento para fazer um apelo ao empresariado. “Temos que ter a confiança e contar com investidores desde o período da concepção até a entrega destas grandes obras”, finalizou.

Fonte: Assessoria de imprensa

[addtoany]
PUBLICADO EM: 28 de setembro de 2015