Infraestrutura e segurança são prioridades no Fórum O Rio Grande em Transformação em três regiões

Metropolitana, Vale dos Sinos e Vale do Caí pedem concessões, para ajustar a infraestrutura, e apontam como ponto fraco, a segurança

Da esquerda para a direita: Leonardo Fração, Ronald Krummenauer, Simone Leite, Fernando Marchet e Rafael Goelzer. Crédito: divulgação Federasul

 

Empresários das regiões Metropolitana, Vale dos Sinos e Vale do Caí estiveram reunidos na noite desta quinta-feira (21), na CICS Canoas, para conhecer as 10 macro-oportunidades para o desenvolvimento da região. Ao criar o Fórum “O Rio Grande em Transformação”, a Federasul vai mapear as oportunidades regionais e, ao mesmo tempo, difundir ações vencedoras que auxiliem a transformar o Rio Grande do Sul, como o Programa de Incentivo ao Aparelhamento da Segurança Pública.

Testado em Porto Alegre pelo Instituto Cultural Floresta, o projeto será agora compartilhado na região metropolitana. “Queremos reduzir a violência também em outros municípios e esse projeto tem a participação efetiva da iniciativa privada”, lembrou a presidente da Federasul, Simone Leite.

Esse foi segundo de uma série de oito encontros regionais (o primeiro foi o lançamento, em Osório, em fevereiro). No de Canoas, o foco ficou em dois itens: as parcerias público-privadas para o desenvolvimento de diferentes setores, em especial, o de infraestrutura, e a segurança pública.

O diretor executivo da Agenda 2020, Ronald Krummenauer, que apresentou estatísticas relevantes da Região, disse que o grande desafio foi a gestão pública deficiente das últimas quatro décadas, que acarretou a crise financeira gaúcha. “O momento pede integração entre poderes. Por muito tempo separamos o que era de responsabilidade dos entes públicos e dos privados, quando, na verdade, precisávamos buscar soluções em conjunto”, ressaltou.

Foi pensando nisso, para sensibilizar os empresários a participarem dessa construção a partir de parcerias com o setor público, que o sócio da Nebraska Capital | Instituto Cultural Floresta, Leonardo Fração, foi convidado para o evento. Ele enfatizou que “a construção de um Estado competitivo, saudável e forte é de responsabilidade de todos nós. Podemos fazer isso elegendo os políticos, mas também agindo por conta própria para contribuir com o Estado”, afirmou.

Exemplo disso foi a doação de R$ 14 milhões, sem contrapartida, pelo Instituto Floresta, para equipar a segurança do Rio Grande do Sul. “Com esse incentivo, não só colaboramos com uma questão fundamental para o Estado, mas incentivamos outras instituições a fazerem o mesmo, com a criação, em dezembro de 2018, da Lei de Incentivo à Segurança Pública, pioneira no Brasil”, observou.

De acordo com o vice-presidente e coordenador da Divisão de Economia da Federasul, Fernando Marchet, o momento também é bastante propício a essa interação entre público e privado. “O início de um novo governo é sempre cauteloso, mas estamos confiantes de que a economia vai prosperar em 2019 e poderemos investir mais no Estado”, ressaltou. Segundo ele, é necessário, no entanto, a aprovação das reformas estruturantes; o plano de concessões e privatizações e um ajuste fiscal nas contas do governo.

A presidente Simone Leite, reforçou a satisfação e importância desse fórum para fomentar o protagonismo do setor empresarial e apresentar uma nova janela de oportunidades para o Estado. “Precisamos ser agentes de transformação e sair da nossa zona de conforto. Trabalhar o espírito público e pensar no coletivo”, afirmou a presidente, ao reafirmar que é preciso comprometimento.

Já o vice-presidente de Integração, Rafael Goelzer, lembrou que, além da definição das macro-oportunidades gaúchas, o projeto ainda tem o objetivo de promover a integração entre os municípios e sensibilizar os empresários para o associativismo.  “A Federasul quer estar presente e contribuir com o desenvolvimento de todas as regiões do Estado”, finalizou.

O próximo encontro já tem data marcada: dia 23 de abril, para empresários das Regiões da Fronteira Noroeste/Missões, na ACISAP Santa Rosa. Os resultados dessa iniciativa, desenvolvida em parceria entre a Federação, juntamente com líderes regionais e 136 entidades filiadas, serão apresentados no 15º Congresso da Federasul, que acontece no mês de outubro, em Gramado, com a participação do governador Eduardo Leite.