FEDERASUL pede apoio da Assembleia para Estado retomar educação presencial

Esse debate não pode ser postergado disse o presidente Anderson Trautman Cardoso

       Parceiros há longa data, FEDERASUL e Assembleia Legislativa têm muito a contribuir para a solução da crise, especialmente para a retomada da educação presencial. Assim como a FEDERASUL, também o presidente da Assembleia Legislativa, Gabriel Souza é favorável à volta as aulas já.  Anderson Trautman Cardoso enfatizou, no Tá na Mesa desta quarta (14), que trouxe como convidado o chefe do Legislativo, que “é preciso levar à balança, além dos prejuízos pedagógicos, também os impactos à saúde mental de nossas crianças e jovens e a falta de qualificação adequada da mão de obra que sofre com o desemprego”.

Os desafios trazidos pela pandemia exigem união para promover os avanços e as reformas que o Rio Grande e o País necessitam. “Contamos com a sua dedicação e com a sua parceria para a retomada da educação presencial e para promovermos as transformações que o Rio Grande do Sul precisa”, disse Anderson Trautman Cardoso.

      Reconhecendo o Legislativo como um importante fórum de convergência sobre as medidas de enfrentamento à pandemia e para minimizar os impactos nas empresas e nos empregos, o presidente da FEDERASUL, lembrou o papel essencial da Assembleia. “Temos a esperança de termos pela frente um período de transição”, disse, lembrando que “não é mais possível fechar as empresas porque aprendemos muito e verificamos que são as aglomerações irresponsáveis que aceleram a propagação do vírus, não a atividade produtiva”, enfatizou.

    Também para a recuperação da atividade econômica a entidade acredita que as mudanças estruturais precisam acontecer. “Há um oceano de oportunidades”, enfatizou. Para ele, “os 55 deputados estaduais terão protagonismo em muitas dessas discussões” e disse esperar “alinhamento na luta pelas grandes reformas nacionais”.

          No cenário gaúcho, a FEDERASUL não tem dúvidas que é preciso seguir no caminho das privatizações e pediu ao Legislativo para avançar nas pautas que modernizam e desburocratizam o Estado. O presidente Anderson citou que a aprovação das PECs do Teto dos Gastos Públicos, a que retira a obrigatoriedade do plebiscito para a venda de estatais (PEC 280/2019) e a do Duodécimo são avanços necessários.

Sintonia de ações

         O presidente da Assembleia, informou que estas reformas já estão na pauta do Legislativo e vão seguir “com rapidez” (a PEC 280, que derruba o plebiscito sobre a venda de estatais, deve entrar em votação no final de abril, início de maio). Ele anunciou ainda mudanças regimentais no Legislativo para dar eficiência de soluções, celeridade na execução dos serviços e transparência nas decisões. “O anúncio será feito na próxima semana para ficarmos mais perto das pessoas”, revelou.

         Ao falar sobre o pós-pandemia, o presidente da Assembleia, lembrou a necessidade de promover, em conjunto com as entidades, as soluções através de projetos que ajudem no desenvolvimento. A FEDERASUL, que já apurou as necessidades regionais na área de infraestrutura através das Jornadas da Integração (que encerrou nesta segunda, 12), passando por oito macrorregiões do RS envolvendo 164 entidades empresariais. As demandas serão entregues à AL. “Trata-se de 24 pontos específicos, 34 microrregionais e 55 estratégias que apontam melhorias com propostas que incluem a vinculação orçamentária”, informou o vice-presidente da Micro e Pequena Empresa da FEDERASUL, Rafael Goelzer, que coordenou o Tá na Mesa.

       

[addtoany]
PUBLICADO EM: 14 de abril de 2021