FEDERASUL celebra o Dia Internacional do Empreendedorismo Feminino

Evento final do Conselho da Mulher Empreendedora promoveu diversos painéis durante a tarde de quinta-feira (19)

 

Criado há seis anos pela ONU (Organização das Nações Unidas), a data celebra o papel e os impactos da mulher na economia mundial. O encontro virtual contou com a participação de diversas empresárias do estado, representantes do empreendedorismo e da luta feminina em prol do desenvolvimento econômico gaúcho e brasileiro.

Sob coordenação de Têisi Colares, presidente do CME FEDERASUL, e Susan Argenti, diretora de Núcleos CME, o evento “Drops de Empreendedorismo e Sucesso”, que integrou  as atividades da Semana Global do Empreendedorismo CME, discutiu e ouviu expertises empreendedoras em áreas como turismo, que abriu o encontro, e contou com a palestra de Ana Cláudia Bittencourt e Kelly Brocker. Inovação educacional, com Elenise Rocha e Angéllica Noguez; Auto Gestão e Liderança, com Bibiana Zereu e Laiza Martins. Peter Roman, direto dos EUA, falou sobre a importância da imersão/experiência da compra, por meio do tema “Neuro Vendas”, aplicado ao estudo de caso do Brechó da Gi, empresa da conselheira CME, Gisele Lucas.

O encerramento, contou com um painel que compartilhou as experiências individuais de Tânia Reis, CEO do Grupo Serpa, e Simone Leite, primeira presidente da FEDERASUL e CICS Canoas (Câmara da Indústria, Comércio e Serviços de Canoas).  Sob mediação de Susan Argenti, o espaço foi marcado pelo compartilhamento de experiências e vivências, bem como os desafios de empreender em meio a um ambiente machista. Tânia Reis, que participou desde Xangai, na China, estimulou às participantes da reunião a “crer no poder individual”, descreveu ela sobre o enfrentamento aos desafios e adversidades.

Simone contou para as empreendedoras toda sua história. A presidente da FEDERASUL, hoje com 43 anos, voltou no tempo e relatou os desafios de, por volta dos 20 anos, ser professora e se sentir deslocada da realidade, há época, imposta às mulheres, “me via descontente. Queria contribuir com minha comunidade, com os mais humildes. Mas, também, sempre quis ser eu a frente, não ser anexo de homem nenhum”, disse. Simone, inicialmente formada em História, pela Unisinos, cursou Administração de Empresas, e atualmente atua no segmento industrial. “Temos que ser felizes e fazer o que está no nosso alcance. Encerro dizendo: somos os resultados de nossas escolhas”.

[addtoany]
PUBLICADO EM: 20 de novembro de 2020