Federações e deputados federais pedem ao governo alterações no Plano de Distanciamento

Em carta conjunta, enviada nesta quarta (22) ao governador, FEDERASUL,  FARSUL,FECOMÉRCIO e FIERGS, além de deputados federais sugerem alternativas

 Por meio de um documento conjunto o Governo do Estado foi informado dos pontos que, na visão de FEDERASUL, FARSUL, FECOMÉRCIO e FIERGS e 17 deputados da bancada federal, precisam ser alterados junto ao Plano Estadual de Distanciamento Social, implantado em maio. No ofício encaminhado ao Piratini, os signatários expõem a enorme preocupação com o agravamento da situação de saúde, econômica e social que acomete o Rio Grande do Sul.

O ofício de duas laudas, que já está nas mãos do governador Eduardo Leite, afirma que “[…] convictos das suas intenções, de evitar que a epidemia cause um dano maior ao Rio Grande e nessa direção queremos construir, junto com o Governo, um caminho que proporcione respostas cada vez mais eficazes”.

O núcleo do documento, assinado por Simone Leite (FEDERASUL); Gedeão Pereira (FARSUL); Luiz Carlos Bohn (FECOMÉRCIO); Gilberto Petry (FIERGS) e 17 deputados federais da bancada gaúcha, afirma que a classe produtiva, bem como os trabalhadores vêm […]suportando todas as agruras sociais e econômicas na esperança de superarmos juntos a pandemia.

Outro importante destaque do documento é a conscientização de que o período do inverno contribui para o contágio de vários tipos de vírus, inclusive o da Covid-19, e que tal proliferação infecciosa é histórica, nada tendo a ver com a reabertura gradual da economia. O comunicado reafirma que a classe produtiva […] vem observando os rigorosos protocolos de prevenção do contágio e com seus custos cobertos pelo que ainda resta de recursos no setor privado.

Na visão das Federações, é preciso dar um passo à frente, a fim de aperfeiçoar as formas de ação no enfrentamento, garantindo a vida e a sobrevivência dos gaúchos. A carta pleiteia as modificações no tocante à política de avaliação de risco, simbolizada pelas cores de bandeiras, que tenha um caráter mais indicativo e menos impositivo, ficando sua execução a critério das Associações Regionais de Município.

Além disso, as Federações reafirmam o interesse de colaborar de forma mais intensa, para que haja uma parceria ainda maior com o Governo Federal, no sentido de executar uma estratégia de testagem maciça e frequente da população de risco, visando promover o rastreamento, localização e isolamento temporário dos possíveis portadores do vírus.

Outro item é a substituição do fechamento de empresas por uma política ampla e robusta de testagem da população, iniciando pelas regiões também de maior risco. FEDERASUL, FARSUL, FECOMÉRCIO E FIERGS solicitam, também, que a Secretaria Estadual da Saúde disponibilize o tratamento precoce, nos casos onde houver decisão do médico e desejo do paciente em utilizá-lo.

Além da retomada econômica, as Entidades assumem o compromisso de fazer essa construção e intermediação, inclusive na área dos recursos que forem necessários, junto ao Governo Federal, para transformar o Rio Grande do Sul em um case de sucesso na superação dessa pandemia.

Os deputados que assinam em conjunto são: Giovani Cherini (PL); Afonso Hamm (PP); Alceu Moreira (MDB); Bibo Nunes (PSL); Carlos Gomes (Republicanos); Heitor Schuch (PSB); Jerônimo Goergen (PP); Liziane Bayer (PSB); Marcel Van Hattem (Novo); Marcelo Brum (PSL); Marcelo Moraes (PTB); Maurício Dziedricki (PTB); Nereu Crispim (PSL); Osmar Terra (MDB); Pedro Westphalen (PP); Ronaldo Santini (PTB) e Ubiratan Sanderson (PSL).

[addtoany]
PUBLICADO EM: 22 de julho de 2020