A nova realidade do teletrabalho frente à pandemia

Meeting Jurídico ouviu especialista da área que pormenorizaram as modificações que atividades online causaram em todas as funções da sociedade

Contando com grandes especialistas da área da educação, trabalho e direito, a mais recente edição do Meeting Jurídico, nesta quinta (10), discutiu o teletrabalho – ou homeoffice – e seus impactos nas rotinas empresariais. Participaram do debate o professor da Escola de Ciências da Saúde e da Vida da PUCRS, especialista em Psicologia Clínica e Psicologia do Esporte, Lucas Rosito; a médica do trabalho, vice-presidente da Associação Nacional de Medicina do Trabalho, Rosani Carvalho de Araujoe a advogada membro da Comissão Permanente de Assuntos Trabalhistas da Divisão Jurídica da Federasul, Martha Sittoni.

Importante mudança no paradigma do trabalho e ensino desde os primórdios da internet, as chamadas de áudio e vídeo transmitidas pela grande rede de computadores vem revolucionando as relações empresariais no Brasil e no mundo. Após o início da pandemia da Covid-19, as empresas foram obrigadas a se adaptar para permanecerem funcionando. Para Martha Sittoni, essa situação veio para ficar e mudar algumas relações em algumas funções.

“Essa circunstância não é nova mas, na verdade, se potencializou no contexto da pandemia e criou a necessidade de uma reorganização empresarial”, salientou Sittoni. “Apesar de se saber que já existia, antes da pandemia, esse sistema era limitado a determinados setores ou atividades. Mas, em função da situação a qual fomos literalmente jogados, com a necessidade de proteção da saúde social, as organizações não tiveram opção senão lançar mão desse sistema em significativas partes de suas atividades. Basicamente, em tudo aquilo que era possível”, relatou a advogada. Ela salientou que esse contexto envolveu preparo da classe empresarial para evitar possíveis “riscos jurídicos naturais” factíveis frente à pandemia.

Já o professor da PUCRS, Lucas Rosito, fez uma explanação focando nos possíveis problemas físicos e mentais que a realidade do homeoffice e a pandemia trouxeram aos trabalhadores e como se preparar para essa realidade. “A gente teve que lidar com algumas circunstâncias que tínhamos algum controle ou segurança”. Para exemplificar, o especialista enfatizou nos sentimentos de segurança, apreensão e incerteza, tanto com o próprio trabalhador, como com seus familiares.

 As especificidades técnicas de segurança do trabalho frente a esse contexto de pandemia foram o foco da vice-presidente da Associação Nacional de Medicina do Trabalho, Rosani Carvalho de Araújo. Ela lembrou que além da importância da saúde do trabalhador, é necessário resguardar a saúde de um ambiente do trabalho e também a saúde financeira de todos envolvidos nas relações de trabalho.

Ainda que trabalhar em casa seja um sonho de grande parte dos trabalhadores, segundo Araújo, as especificidades do ambiente, bem como a disciplina e estrutura emocional para lidar com as necessidades de trabalho e de casa, juntas em um mesmo ambiente, é algo importante a ser discutido.

Assista

Se você não conseguiu participar do evento online,
clique aqui e assista pelo Facebook ou Youtube

[addtoany]
PUBLICADO EM: 10 de junho de 2021