Federasul defende a correção da tabela do IR

Presidente Simone Leite disse que trabalhadores e empresas estão sendo prejudicados sem a correção

 Da esquerda para direita: Antônio Palácios, presidente do CRC/RS; Diogo Chamun, presidente do SESCON-RS; Simone Leite, presidente da FEDERASUL; senadora Ana Amélia Lemos (PP-RS) e Mario Berti, presidente da FENACON

Da esquerda para direita: Antônio Palácios, presidente do CRC/RS; Diogo Chamun, presidente do SESCON-RS; Simone Leite, presidente da FEDERASUL; senadora Ana Amélia Lemos (PP-RS) e Mario Berti, presidente da FENACON

A presidente da Federasul Simone Leite participou do debate público “Pela Correção da Tabela do Imposto de Renda (PLS 02/2014)”, nesta segunda-feira (15). O encontro, promovido pelo Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis do Rio Grande do Sul (Sescon), reuniu a senadora Ana Amélia Lemos (autora da proposta que tramita no Senado) e o presidente do Sescon-RS, Diogo Chamun. Simone falou sobre a necessidade da correção pois a defasagem histórica já ultrapassa os 80%, prejudicando os trabalhadores, as empresas e também o desenvolvimento do País.

A Federasul defende o reajuste da tabela do imposto de renda. Segundo a presidente, parece que não há interesse do Legislativo em movimentar o Projeto. “Com a defasagem da tabela, o Governo aumenta a sua arrecadação em 42 bilhões de reais por ano e quem paga essa conta é a sociedade”.

Pesquisa apresentada pela PUCRS comprova que 800 mil trabalhadores assalariados não deveriam estar pagando imposto de renda, o que compromete o poder aquisitivo da população:

– Num grave momento de crise pelo que passamos não é possível que as pessoas continuem sendo oneradas pela falta de gestão pública, afirma Simone Leite.

A ideia do debate é alertar a sociedade sobre a defasagem do imposto de renda, que aumenta a carga tributária. “Vamos fazer a nossa parte, cobrando eficiência e melhor gestão do dinheiro público”, concluiu a presidente da Federasul.